segunda-feira, 31 de maio de 2010

Medíocres e com Dinheiro...

 http://palavraria.files.wordpress.com/2009/10/martha-medeiros.jpg
Conteúdo. Elegância nata. Não precisamos ter dinheiro para termos conteúdo ou elegância nata. E, não significa que necessariamente os endinheirados tenham estes dois itens  tão nobres. Aliás o que muito vemos é falta de conteúdo e de elegância em quem tem muito dinheiro.
Martha Medeiros conseguiu transpor a ideia nesta crônica. Leia alguns trechos e pense no assunto. 
"...mas a cereja do bolo chama-se conteúdo. É o que todos buscam freneticamente: vossa majestade, o conteúdo.
Mas onde ele se esconde?
Dentro das pessoas. De algumas delas.
Fico me perguntando como é que vai ser daqui a um tempo, caso não se mantenha o já parco vínculo familiar com a literatura, caso não se dê mais valor a uma educação cultural, caso todos sigam se comunicando com abreviaturas e sem conseguir concluir um raciocínio.
"

"A palavra assusta, mas entenda-se como intelectual a atividade pensante, apenas isso, sem rebuscamento."
"O fato é que nos tornamos uma sociedade muito irresponsável, que está falhando na transmissão de elegância. Pensar é elegante, ter conhecimento é elegante, ler é elegante, e essa elegância deveria estar ao alcance de qualquer pessoa. Outro dia conversava com um taxista que tinha uma ideia muito clara dos problemas do país, e que falava sobre isso num português correto e sem se valer de palavrões ou comentários grosseiros, e sim com argumentos e com tranquilidade, sem querer convencer a mim nem a ninguém sobre o que pensava, apenas estava dando sua opinião de forma cordial. Um sujeito educado, que dirigia de forma igualmente educada. Morri e reencarnei na Suíça, pensei.
Isso me fez lembrar de um livro excelente chamado A Elegância do Ouriço, de Muriel Barbery, que conta a história de uma zeladora de um prédio sofisticado de Paris. Ela, com sua aparência tosca e exercendo um trabalho depreciado, era mais inteligente e culta do que a maioria esnobe que morava no edifício a que servia. Mas, como temia perder o emprego caso demonstrasse sua erudição, oferecia aos patrões a ignorância que esperavam dela,..."
"A personagem não só tinha uma mente elegante, como possuía também a elegância de não humilhar seus “superiores”, que nada mais eram do que medíocres com dinheiro."

"A economia do Brasil vai bem, dizem. Mas pouco valerá se formos uma nação de medíocres com dinheiro."
Martha Medeiros.
Boa semana... 

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget