quarta-feira, 30 de junho de 2010

Vínculo...

Um dos assuntos conversados nesse "bate- papo" informal de pais, enquanto os filhos jogavam futebol, foi sobre a importância de se criar vínculos afetivos e de confiança. Os vínculos estabelecidos hoje nos ajudarão a passar por fases "ditas difíceis" de forma mais saudável e com resultados positivos. O caso das "drogas" é um dos momentos dificeis vividos por muitos pais e filhos. Elas estão aí, batendo à nossa porta.
Li a pouco sobre um levantamento feito com 1,8 mil estudantes dos ensinos Fundamental e Médio de Porto Alegre indica que os pais estão deixando uma porta aberta para a entrada das drogas em suas casas. O recado enviado por crianças e adolescentes é de que estão faltando informações e monitoramento adequado por parte das famílias a fim de aumentar a prevenção contra o uso de tóxicos.
Apresentada ontem pela Brigada Militar, a pesquisa demonstra que amigos e colegas são a principal fonte de informação dos alunos sobre drogas, embora a maioria diga esperar que os pais cumpram esse papel. A periodicidade com que os responsáveis abordam o tema também deixa a desejar.
Os dados mostram que os vínculos com os pais não estão acontecendo – interpreta o autor do levantamento, major da BM Alexandre Thomaz, chefe do gabinete regional da polícia cidadã do Comando de Policiamento da Capital.
Para o psicólogo Lucas Neiva-Silva, que trabalha com crianças e adolescentes em situação de risco, o diálogo familiar é um fator de prevenção fundamental. O problema é que seguidamente os próprios pais não sabem o suficiente para transmitir aos filhos.
Outro dado comportamental considerado preocupante é que muitas famílias não conhecem bem os amigos dos filhos, sejam da rua ou de meios eletrônicos como a internet. Segundo pesquisas sobre drogadição, a influência de más companhias é fator determinante para crianças e adolescentes decidirem experimentar substâncias proibidas.
Fonte: ZH.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget