quarta-feira, 18 de maio de 2011

Proteja...

[Araceli_.jpg] 

Fique atento...Mitos e verdades ...
“Imaginação fértil”
MITO: A maior parte das crianças possuem imaginação fértil, assim, quando se queixam de estarem sofrendo abuso sexual, estão apenas fantasiando histórias.
VERDADE: Apenas 8% das crianças costumam faltar com a verdade quando o assunto é vitimização sexual e, ainda, ¾ das histórias inventadas pelas crianças são induzidas por adultos (Azevedo e Guerra, 2000).
“É fácil reconhecer um abusador”
MITO: O abusador possui distúrbios emocionais aparentes, de fácil reconhecimento.
VERDADE: A maior parte dos abusos ocorre entre os membros da família (29%) ou por alguém conhecido da vítima (60%). Especula-se que 85% a 90% dos agressores são pessoas conhecidas das crianças (Azevedo e Guerra, 2000)
“Crime raro”
MITO: O abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes é um crime raro.
VERDADE: Pesquisas revelam que 1 em cada 3 a 4 meninas e 1 em cada 6 a 10 meninos serão vítimas de abuso sexual até a idade de 18 anos (Azevedo e Guerra, 2000).
“Memória infantil”
MITO: A criança, especialmente as em idade mais tenras, não se recordará da violência, e crescerá emocionalmente sadia.
VERDADE: A criança nunca esquecerá um abuso sexual do qual foi vítima. Os pais, cujos filhos foram vitimizados sexualmente, devem sempre buscar ajuda profissional. Esconder um caso de abuso sexual debaixo do tapete pode custar muito caro à saúde emocional da criança e de sua família (Azevedo e Guerra, 2000).
“Falta de resistência da criança”
MITO: Se a criança permite os avanços sexuais do agressor, sem demonstrar qualquer resistência, não há abuso sexual.
VERDADE: A criança nunca deve ser apontada como culpada. O agressor para executar o abuso sexual pode recorrer a diferentes métodos – seja a força, a ameaça ou a indução da vontade. Estará presente, tanto no abuso quanto na exploração, uma relação de desigualdade de poder, onde o adulto leva vantagem sobre a vítima que ainda não possui estrutura física e emocional suficiente para se defender de um ataque dessa natureza.
Fonte: http://mpscjoinville.com
Araceli Cabrera Sanches Crespo é símbolo da Campanha de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O dia 18 de maio ficou marcado pelo dia de seu desaparecimento...Ela tinha 8 anos.

Nenhum comentário: