terça-feira, 25 de junho de 2013

A Virgem Abençoada Castigando O menino Jesus...

Ainda falando sobre violência doméstica contra crianças...Na matéria exibida pelo Fantástico, fiquei impressionada e não conhecia a tela " A Virgem Abençoada Castigando o Menino Jesus Perante Três Testemunhas", obra do pintor alemão Max Ernst.
Max Ernst, nasceu a 2 de Abril de 1891 em Brühl e morreu a 1 de Abril de 1976 em Paris. Era filho de Philipp Ernst, professor de artes e de Luise Kopp. Ernst aprendeu a pintar sozinho enquanto estudava Filosofia e Psiquiatria na Universidade de Bonn´entre 1909 a 1914, chegando a exibir uma de suas pinturas em 1913. Em 1914 Ernst veio a conhecer o surrealismo através de um grande pintor surrealista, Jean Arp, pelo qual manteve a amizade pela vida inteira.
Em 1916 Ernst foi convocado pelo serviço militar alemão para lutar na Primeira Guerra Mundial. Após a guerra Ernst foi morar para Colônia com Jean Arp e Johannes Baargeld, vindo a fundar o Grupo Dada de Colônia.
Ernst Fez uma exibição em 1920 em Colonia, mas foi fechada pela polícia, alegando que a exposição era obscena demais. Ernst acabou se mudando para Paris em 1922, onde veio a se juntar com o grupo surrealista. Era amigo de Gala e Paul Éluard , André Breton e Tristan Tzara.
Ernst viveu em Nova York entre 1941 a 1945, em 1942 conheceu a pintora surrealista Dorothea Tanning . Em 1946 se casou com ela no Arizona.
Em 1958 voltou a morar em França até sua morte.
Segundo contam, a obra intitulada A Virgem Abençoada Castigando o Menino Jesus Perante Três Testemunhas é de 1926 e informa que essa mãe punitiva é a Virgem Maria, a criança é o Menino Jesus, e as testemunhas são os amigos surrealistas André Breton, PaulÉluard e o próprio Max Ernst.
A obra é impactante pois é a primeira vez que vejo Menino Jesus sendo castigado pela sua mãe... A violência do castigo é tal que a auréola do menino caí...A da sua mãe mantêm-se em equilíbrio  sobre a cabeça. As nâdegas da criança estão vermelhas das palmadas, ele esperneia... Max Ernst retrata a virgem como nunca imaginei...Assusta...
Bom, não sei quais foram as intenções reais do artista na época...Mas, analisando ela de forma simples nos dias de hoje...Fica muito clara a ideia de que a partir do momento em que uma criança é violentamente castigada ela perde a sua pureza...Vemos isso na tela através da auréola que cai...Muito triste...

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget