terça-feira, 7 de outubro de 2014

Sessão Patchwork- Ainda confundo amor com apego...

O limite entre o amor e o apego...Limite que certas ou muitas vezes temos que treinar...Principalmente quem tem filhos...Filhos que estão crescendo... Ai, ai, ai...Carpinejar  em sua coluna "Ainda confundo amor com apego", demonstra que não sou a única a ter que exercitar a diferença entre esses dois sentimentos...Retalhos...

(via mrsamberapple) 
Imagem via Tinywhitedaisies
"Sou chato para a esposa e filhos. Mas não tem jeito. Quando um deles viaja, sempre digo que conheço alguém onde eles estão indo e alcanço o endereço e o telefone em caligrafia caprichada.
É uma regra de meu paternalismo: cuidar excessivamente daqueles que amo, a ponto de sufocar.
Tenho tendência de Google Maps.
Entendo que estou sendo prevenido, eles entendem que estou sendo paranoico.
Se a minha mulher parte para a Argentina, logo saco de minha caderneta de contatos quem eu conheço de lá.
– Olha, tenho esses amigos argentinos. Quando precisar de qualquer coisa, não deixe de procurá-los.
Entrego o papel com os endereços e um mapinha. Chego a avisar os hermanos de que ela está indo e para ficarem a postos. Converto uma situação eventual (último caso) em prioridade.
É óbvio que ela jamais vai telefonar. Não há esperança. Não há sentido na proposta.
Ela não pediu nada, sabe se virar sozinha, tem seus próprios amigos e conexões. Mas não canso de repetir o rito a cada viagem.
Ela decidiu aceitar para gerar menos trabalho. Dobra o papel para nunca mais encontrar em sua bolsa. Eu, louco de pedra, tento ver em que zíper colocou o recado para lembrá-la mais adiante. Vá que me diga que perdeu a folhinha...
Minha filha vai para o Chile, faço um rastreamento dos conterrâneos no país de Neruda e já providencio uma lista de retaguarda.
Ela se ofende com razão, transmito a impressão de que não confio nela, concedo tratamento de menor de idade, instauro um clima de suspeita que não fortalece o relacionamento.
Eu atropelo a confiança com o controle que vem do meu medo. Eu retiro a independência de qualquer um com meu protecionismo. Porque confundo ainda amor com apego. Apego é não sair de perto, amor é estar por perto."

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget