quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Penso...

tumblr_llo2zlu0eM1qzbqbwo1_500 
Via Betty's

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Boa Semana...

Via Tinywhitedaisies

Penso...

tumblr_lli4qf4fQS1qz75z7o1_500 
Via Betty's

Sessão Patchwork- Luz Fria...

Não é que é verdade!!! E, Martha Medeiros não é a única a pensar e sentir assim...Dia desses percebi meu marido num ato quase paranóico fazendo estoque das "aconchegantes" e "poéticas" lâmpadas...Como formiguinha, cada vez que ia ao supermercado trazia duas...E, mais duas...E, mais duas...rsrs...Progresso frio, mas pelo bem coletivo...Retalhos...
 
Imagem via http://www.olhar-43.net
"Resisti enquanto pude. Fazia estoque de lâmpadas incandescentes em casa. Quando já não encontrava as de 100 watts, comprava as de 60. Se não tinha num supermercado, buscava em outro. Batia ponto em casas de ferragens, dava incertas em lojas de luminárias, enfim, uma perseguidora incansável das lâmpadas incandescentes.
Enganando a mim mesma, claro. Se a imprensa não parava de avisar que as lâmpadas incandescentes estavam sendo substituídas pelas fluorescentes, mais compatíveis com o projeto de eficiência elétrica nacional, por que eu não me rendia de uma vez? É que, dependendo da situação, é mais cômodo se fazer de desatenta.
Só que chega o dia em que cansa lutar contra. Essa semana, interrompi minha resistência à novidade, resolvi sucumbir. Comprei uma lâmpada fluorescente para o abajur do meu quarto. Na verdade, tenho dois abajures no quarto, um em cada lado da cama. O que está do meu lado ainda possui uma lâmpada das antigas, amarelada, acolhedora. Como a do lado oposto havia queimado, resolvi trocar por esta nova, econômica, durável, sensacional. Devidamente atarrachada, acendi ambas para ver se havia diferença mesmo.
Que choque.
Sei, não é um conflito, um problema, uma catástrofe, nada disso. Estamos falando de lâmpadas, um troço banal. Porém menos banal para mim, que sou dependente de luzes indiretas.
Viciada em abajur, admito. Não suporto luz vinda do teto, excessiva, invasiva, desumana. Eu preciso de clima, de aconchego, de atmosfera. Poderia cultivar um luxo mais besta, mas cultivo este, que é reles. Eu gosto de luz poética, cálida, que me faça sentir em casa, e não num escritório.
As lâmpadas fluorescentes oferecem uma luz branca, racional, uma luz para pessoas jurídicas. Por que devo me conformar? Eu sei, eu sei, é preciso pensar em economia e durabilidade, mas poxa, eu trabalho tanto, gostaria de continuar arcando com o pequeno luxo de uma luz que me acarinhe, que me romantize, que me faça sentir num filme francês. No entanto, mesmo que eu reclame para o bispo, nada mudará. É preciso pensar na coletividade. Não resta opção. As lâmpadas incandescentes foram retiradas do mercado. Tudo pela melhora da qualidade de vida, por um mundo mais sustentável. Desisto.
Uma vez escrevi uma crônica chamada “Melhorar para pior”. Dei vários exemplos: balneários com estradinha de chão batido x balneários asfaltados, cadeiras de palhinha x cadeiras de acrílico, pousadas rústicas com o namorado x resorts all inclusive com a família. Não falei de lâmpadas, na ocasião, porque o assunto não estava em pauta, mas agora o século 21 completou o serviço da modernidade. Adeus às lâmpadas arcaicas, o momento é das lâmpadas inteligentes.
Sinceramente? Tenho vontade de parar o tempo. Evoluir é muito frio."

sábado, 22 de novembro de 2014

Bom Final de Semana...


 


                                                                     Via http://www.houseofturquoise.com

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Inspiração...

Falando em ação, organização, faxina, triagem, detox...A aproximação do Natal e do Ano Novo dá um gás a mais pra gente fazer tudo isso na alma, no corpo e no "lar, doce lar"...Época bem boa essa!!!
Inspiração...
adorablelife:

adorkableselina:

thisismekimberleyann:

(via Full House)


 
Imagem via Tinywhitedaisies

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Sessão Patchwork- A Arte de Suprimir...

Começando bem a segunda-feira...Retalhinhos do belo e inspirador texto de Martha Medeiros...Inspiração e ação...

23h00 - Pensando na vida. - Ouvindo música, twittando ou só observando o twitter. Escrevendo um pouco o que se passa na cabeça e coração... Estava distraído pensando na minha vida. No futuro pra ser claro. Pensei em meus pais, na família em geral, no amor ... Como vai ficar a minha tia? O milagre vai acontecer? Ela vai poder cuidar das filhas dela? E suas filhas vão ter o tempo e momento que puder com a mãe? Vou me tornar um bom profissional em alguma área? Penso em meus pais. Quero uma velhice digna pra eles. Quero retribuir todo carinho,amor e paciência, quero perder a paciência quando ficarem velhinhos chatos (risos). Pernambuco. Gosto de você. Mesmo faltando muito coisa, gosto muito de morar nesse estado. Garanhuns mesmo tendo falta de emprego e opção (estudo) ainda continuo gostando do clima e de todos que moram aqui. (algumas pessoas enjoadas, mas tudo bem). Minha família é como a de qualquer uma. Sempre tem uma coisinha que faz um e outros se afastarem, mas depois de um tempo tudo volta ao normal. Família presta. Bem longe, mas é essencial ter família. É nossa carga genética e começo. Amor? Difícil e fácil ao mesmo tempo de se escrever. No momento to amando uma pessoa de longe. Fico irritado com a distancia e as vezes com ciúmes de terceiros. Acho que estou amando pela primeira vez. O que sinto dentro de mim é uma emoção forte e to aprendendo a lidar com ela. Se meu amor estivesse perto, seria fácil poder passar todo esse amor que estou guardando aqui. Tenho medo de está cultivando algum que possa ser inútil e em vão, depois que essa pessoa me apareceu um vazio foi feito em mim. É como seu necessita-se está próximo para amar. O que mais quero é que seja recíproco. Sabe eu já tinha medo de partir desse mundo sem realizar meus desejos e agora é que tenho mais medo ainda. Tenho medo de não vê o milagre acontecer, medo de não realizar minha carreira como um profissional, medo de não conhecer a Kátia (Kaa Lacca) e conhecer o Lucas Menon. Tenho medo de não receber o abraço que deve ser o mais gostoso que recebi que é o da Kaa. A Kaa é meu anjo. Ela consegue preencher o vazio que sinto. Um vazio que é tipo “crise existencial” , ela me dar forças espirituais e me ajuda a prosseguir sem medo. O outro medo é de perder o amor, amor que possa ser pro resto da vida. Nossa, fico olhando cada detalhes em minha volta e fico rindo sozinho (risos) Deus tu é o cara! Obrigado. Cara como pode negar ele? A prova maior que ele existe é olha um céu super estrelado durante a noite. (existe um criador para tudo isso). [b]Deus é como o oxigênio. Não podemos vê, mais sentimos[/b] e sabemos que ele ta na África com uma mulher que segura seu filho nos braços, no vaticano com o padre celebrando a missa e presente aqui, AGORA! ele ta em todos lugares ao mesmo tempo. O amor já é a prova da existência de Deus. Pense que sentimento lindo é o tal de amor. Arde de euforia por dentro! É muito mágico. Vejo Deus atrás do amor. Perfeito demais. Fico olhando pra Ana e fico me recordando dela na incubadora. Tão pequena e frágil e hoje está com 2 anos, saudável e linda. Porem poderia está melhor se estivesse do lado da mãe dela. Minha mãe a enche ela de amor incondicional. Pra Ana, Minha mãe e minha tia são as 2 mães que ela sempre teve. (O amor é inexplicável). Tava com a mente no mundo. Pensando em como ele anda. Pessoas pelas ruas, crianças abandonadas. Putz, quando sinto fome ou frio, me vem logo na cabeça pessoas que passam por esse sufoco. É como se às vezes me colocasse no lugar delas. Mas mesmo assim nunca vou saber ou sentir o que elas passam. Não consigo me compreender... hoje to triste. Pô que vazio é esse? Queria tanto me entender, buscar respostas. Saber o motivo dessa melancolia que bate. Acho que sei qual é meu problema. Sou sensível de mais. Esse é o problema. Só pode. Penso em desistir de tudo. Mas não consigo. Se fizer isso vão vou está sendo fiel ao meu coração e vou me machucar bem mais se bater arrependimento depois. Não quero sangra de tristeza. É o que mesmo quero. Será que to ficando paranóico? Acho que coloco muita minhoca na cabeça. Só o tempo pode me ajudar, mas não quero que ele faça isso. O futuro me assusta. Só me resta: deixar o tempo trabalhar. --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Essa semana passou mega rápido. O I Bimestre acabou. Faltam 3 ;D - Fotolog

"Faxinar é uma arte. Vale para textos, armários, gavetas, e também para manias, lembranças, rancores. A maturidade tem muitas vantagens, entre elas a de deixarmos de ser tão sentimentais com nosso passado e promovermos um arrastão em tudo o que é excessivo. Não há mais tempo para delongas: uma vez conhecendo melhor a nós mesmos, hora de priorizar a essência – a nossa e a de tudo.
O que não impede que pessoas mais jovens comecem a se habituar desde cedo a não colecionar inutilidades, como amigos falsos, preconceitos e dramalhões. Hoje, considera-se rico aquele que tem 1 milhão de seguidores no Twitter e curtidas no Face, ou aquele que acredita que um sem-número de sapatos, bolsas e tênis acalmará sua ansiedade, afugentando o vazio. Será mesmo preciso gastar metade da vida até perder essa ilusão? O que nos dignifica não é um guarda-roupa abarrotado ou uma cabeça lotada de neuras. Simplificar, ao contrário do que se pensa, nunca foi provinciano, e sim um luxo que poucos conseguem bancar.
Acumular é que é provinciano. Nem mesmo quando relaciono esse verbo a afeto e dinheiro consigo dar a ele algum crédito, pois acúmulo nada tem a ver com suficiência. Se temos afeto e dinheiro suficientes para viver bem, com paz, conforto e alegria, para que correr atrás de mais e mais? O excesso pode conspirar contra, nos exigindo um esforço extra para manter a roda girando. O suficiente faz a roda girar sozinha."

Penso...

fe9d0b66c4009c5aa0e51a033b6794f0 
Via Betty's

Boa Semana...

Via Tinywhitedaisies

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Patchwork Musical- INXS...

Dia especial...Sonzinho especial...Direto do túnel do tempo...
 
"Don't ask me
What you know is true
Don't have to tell you
I love your precious heart
I was standing
You were there
Two worlds collided
And they could never tear us apart
"

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Penso...

 
Imagem via Tumblr

"Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça..." Mário Quintana

kit Desculpas...

Gentileza gera gentileza...Pelo menos na maioria das vezes...
Não tenho mais bebês...Mas, adorei a ideia do casal americano que viajou com uma bebê de 8 meses...Entregaram aos passageiros um "kit" num saquinho plástico contendo algumas balas e um tampão de ouvido. Foi uma forma criativa e simpática de se desculpar com antecedência por possíveis transtornos que a criança poderia causar caso chorasse durante a viagem.
Uma mensagem escrita dentro do pacote dizia: “Olá. Sou uma menininha de 8 meses e esse é meu primeiro voo! Normalmente sou um bebê feliz, mas gostaria de me desculpar com antecedência se eu ficar inquieta, assustada ou chateada porque meus ouvidos doem. Mamãe e papai estão fazendo o possível para me acalmar, e esperamos que esses doces e tampões de ouvido ajudem a tornar sua viagem comigo um pouco mais fácil. Tenha um bom voo!”
É desde cedo que se ensina!!! 
Fonte G1

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Boa Semana...



Via House of Tourquoise

Férias à Vista...

E o clima começa a ser de férias pra quem tem filhos em idade escolar...Definitivamente eles estão cansados...Então, trabalho dobrado nesta finaleira...Pois, ainda tem provas, trabalhos e temas...Mas, falta disposição por parte deles...Muita paciência e incentivo por nossa parte ajuda...Fazer uma contagem regressiva, ajuda...Lembrar que os ares de Natal estão por aí, anima...Assim os dias vão passando e, finalmente o descanso "deles", chega...rsrs.

estudando para concurso                                                                                      Imagem via Tumblr

sábado, 8 de novembro de 2014

Bom Final de Semana...

 
Via http://www.houseofturquoise.com

Sessão Patchwork- O tênis que deixou de ser branco...

Adorei a crônica do Carpinejar " O tênis que deixou de ser branco"...Claro, que com uma pitadinha de exagero pra ficar melhor...Vale a dica pra quem tem filhos entrando na adolescência...rsrs...Bom senso ao "ajudar" demais"... 
Imagem via tumblr
"Gentileza gerava gentileza, cuidados resultavam em agradecimentos, até a mãe inventar de lavar meu All-Star.
Neste momento, acabou a ingenuidade de nossa relação. Depois desse dia, passei a chavear meu quarto e espalhar cartazes de “Proibido entrar” e “Não mexa em minhas coisas”. Estabeleceu-se um clima de suspeita, reparava onde deixava minhas roupas e conferia se permaneciam no mesmo lugar.
Houve uma quebra da corrente do bem em casa. Eu descobri que as intenções não condiziam com a realidade, que fazer favor sem a consulta do interessado desencadeava as maiores brigas.
O fim da minha obediência cega ao amor materno aconteceu justamente quando eu vi meu tênis branco de língua escancarada, secando ao varal, preso por dois prendedores.  Foi uma tristeza irreversível.
A mãe desejou me preparar uma surpresa e se deu mal, ela buscou tirar o chulé e renovar meu par com um banho de espuma e Clorofina e me desagradou profundamente.
Destruiu a autenticidade de meu tênis. Nunca mais foi o mesmo: meu tênis cult, invejado pelos colegas, confortável, carismático do recreio, curinga das roupas dos mais diferentes estilos e cores.
Meu tênis sujo tinha aparência de novo. Quando lavado, ficou velho. Ganhou os anos de seu uso, tudo de uma vez. Porque ficou com um branco falso, um branco aspirina, um branco exagerado, um branco escovado, que não tinha no ato de compra.
Adquiriu uma brancura desbotada, fake, arrepiada de pano de chão, diferente do branco encardido e charmoso, que demorei dois anos para imprimir em seu couro. Os cadarços destoavam do conjunto, correntes de um cadeado.
Toda revolta filial começa quando sua mãe lava o tênis sem lhe perguntar.
Ela não respeitou que o tênis não estava imundo, aquilo era estilo de vida, enobrecido nos meus pés como uísque em barris de carvalho. Custou muito chão, demorou para se moldar e assumir uma feição despojada e vivida.
Por suas manias de limpeza, estragou um longo trabalho de depuração. Queria ver qual seria sua atitude se eu passasse verniz em seus móveis de demolição.
O tênis significava o uniforme de minha independência. Não se podia pegá-lo de modo arbitrário, colocá-lo no balde e transformá-lo numa pantufa.
Jamais confiei de novo nos adultos."
Fonte: carpinejar.blogspot.com.br

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Sessão Patchwork- Cecília Meireles...

Cecília Meireles nasceu em 7 de Novembro de 1901...Lindo poema, "Criança"...  
Via Google Images
"Cabecinha boa de menino triste,
de menino triste que sofre sozinho,
que sozinho sofre, — e resiste,

Cabecinha boa de menino ausente,
que de sofrer tanto se fez pensativo,
e não sabe mais o que sente...

Cabecinha boa de menino mudo
que não teve nada, que não pediu nada,
pelo medo de perder tudo.

Cabecinha boa de menino santo
que do alto se inclina sobre a água do mundo
para mirar seu desencanto.

Para ver passar numa onda lenta e fria
a estrela perdida da felicidade
que soube que não possuiria. "
Ocorreu um erro neste gadget